Conheça o nosso blog

Fique por dentro das novidades e aprenda conosco.

5 dicas para reduzir a inadimplência do seu condomínio

inadimplência

Lidar com a inadimplência é sempre desafiador e pode gerar muitos problemas para o seu condomínio. Portanto, é extremamente importante fazer uma boa gestão do seu condomínio para evitar dores de cabeça.

Uma pesquisa feita pelo Serasa apontou que o Brasil atingiu, em 2022, um recorde histórico de inadimplêntes. São, atualmente, 66,6 milhões de pessoas que estão com os nomes negativados por dívidas.  

Os dados apontam também que a faixa etária mais jovem (18 a 25 anos) foi a que mais cresceu em inadimplência, na comparação entre maio de 2021 e maio de 2022. A alta foi de 10,75%, passando de 7,73 milhões para 8,56 milhões de negativados. Já o número de idosos (60 anos ou mais) também teve aumento significativo.

Esse número, claramente se reflete no setor condominial. Somente no mês de agosto deste ano foram 1.348 ações por inadimplência em condomínios. Esse número representa um crescimento de 7,2% em relação ao mesmo mês de 2019, antes da pandemia.

Esses dados são alarmantes, por esse motivo hoje você vai conhecer algumas dicas para reduzir a inadimplência do seu condomínio. Continue a leitura!

Quais são as consequências da inadimplência condominial?

Inadimplência condominial é sinônimo de dano no orçamento, isso é fato. Além disso, ninguém quer adiar melhorias no condomínio por falta de verba, concorda?! 

Se a taxa do condomínio não é paga, esse dinheiro não poderá ser usado para arcar com despesas básicas como água, luz e tantas outras obrigações. Além disso, caso aconteça de forma recorrente, será necessário aumentar o valor dos demais condominos.

Ou seja, aqueles que mantêm o pagamento em dia terão que saldar (literalmente) a dívida dos inandimplentes. Muitas vezes, é papel do síndico cobrar os atrasos e isso pode resultar em uma crise indesejada. 

O que diz a lei?

De acordo com a lei 1.336 do Código Civil de 2002, o condômino tem o dever de contribuir para as despesas do condomínio. 

Além disso, o condômino que não pagar a sua contribuição ficará sujeito aos juros moratórios convencionados ou, não sendo previstos, os de um por cento ao mês e multa de até dois por cento sobre o débito.

Confira 5 dicas para te ajudar a reduzir a inadimplência no condomínio

Cobrar um condômino inadimplente pode ser muito desafiador. Todavia, não precisa ser desagradável. Cabe à sua administradora planejar as melhores práticas de cobrança, dentro de cada situação individual. 

Todavia, ninguém gosta de lidar com inadimplência, certo?! Por esse motivo, separamos para você algumas dicas de ouro para ajudar a reduzir essa taxa. Confira a seguir!

Aposte na negociação

Entenda o momento atual do seu condômino e se solidarize com ele. Ou seja, se em algum momento a situação financeira esteve em dificuldade. Então, reflita: quais estratégias poderão ser usadas para quitar esta dívida em específico?

Apostar na negociação e facilidade de pagamento é uma boa alternativa. Estude o momento do seu condomínio e como poderá ajudar o seu condômino sem colocar em risco a saúde financeira do condomínio. 

Notifique o dono do imóvel

Em algumas situações, o morador do local não é proprietário. Por esse motivo, notificar o dono do imóvel pode ser um bom plano. Além de conseguir apoio no momento da cobrança, o locatário estará ciente dos débitos financeiros do imóvel. 

Reitere sobre juros e multas por atraso

Sempre que tiver oportunidade, relembre quais são as multas por atraso, de acordo com a constituição. 

O Código Civil é claro: o condômino que cumprir com o pagamento da taxa condominial, estará sujeito ao pagamento de juros previstos na Convenção de Condomínio ou, caso não haja previsão, a juros de 1% ao mês e multa de até 2% sobre o débito.  

Defina métodos para tentar diminuir o valor do condomínio

A taxa condominial aumentou muito nos últimos anos? Esse pode ser um fator perigoso para a inadimplência. Já pensou em criar alguns métodos para diminuir essa contribuição? Alguns exemplos são:

  • economia de água e energia elétrica;
  • novas negociações com os fornecedores;
  • exclusão de horas extras na jornada de trabalho;
  • investimentos em soluções tecnológicas, como a portaria remota.

Invista em campanhas de prevenção

A palavra-chave aqui é prevenção. Mostrar ao condôminio a importância de manter as contas em dia pode ser o caminho para o sucesso da saúde financeira do condomínio.

Além disso, combater a inadimplência é um trabalho constante e não se reduz à um único momento.

Agora que você conheceu algumas dicas para combater a inadimplência no condomínio, que tal colocá-las em prática? Conte conosco nessa jornada.

Compartilhe:
Veja também:

Plano de manutenção preventiva: como estruturar para seu condomínio

Introdução Manter um condomínio em perfeito estado é uma tarefa contínua e desafiadora, mas essencial...

Estratégias para acabar com a inadimplência condominial

Introdução: A inadimplência condominial pode causar sérios desafios financeiros e administrativos. Este post explora estratégias...

Quórum em condomínio: guia completo

Ao lidar com situações prediais como obras, alterações de regimento interno, ou até mesmo questões...

6 tecnologias que transformam a administração de condomínios

A gestão de condomínios está vivenciando uma revolução, impulsionada por avanços tecnológicos, e a administração...

×