Conheça o nosso blog

Fique por dentro das novidades e aprenda conosco.

Quórum em condomínio: guia completo

votacao-condominial

Ao lidar com situações prediais como obras, alterações de regimento interno, ou até mesmo questões mais rotineiras, saber qual o quórum do condomínio é necessário para cada questão é a base para a validação das decisões que precisam ser tomadas. 

Este tema é muito importante para qualquer síndico ou morador que deseja participar ativamente das decisões do condomínio. Neste guia completo, você encontrará informações claras e objetivas sobre como esses quóruns funcionam na prática, as diferenças entre eles, o número mínimo de votos e suas implicações nas assembleias de condomínio. Confira!

Afinal, o que exatamente é um quórum qualificado para condomínio?

O quórum qualificado é um critério de votação utilizado em decisões dentro de um condomínio, sendo que cada situação vai exigir um número específico de votantes, em relação ao total, para que algo seja aprovado.

Este tipo de quórum assegura que mudanças sejam feitas sem o apoio dos moradores e é aplicado em questões que têm um impacto considerável na vida condominial, como:

  • Alterações na convenção do condomínio;
  • Grandes obras estéticas ou de lazer;
  • Aprovação de orçamentos;
  • Destituição do síndico. 

E outras decisões que você lerá logo abaixo. 

É importante notar que os condôminos inadimplentes não contam para o cálculo do quórum qualificado, uma vez que não têm direito a voto, embora possam estar presentes nas assembleias, dependendo das normas do condomínio em questão. Assim, o quórum é calculado com base no número total de unidades condôminas em dia com suas obrigações financeiras.

O quórum qualificado para condomínio é, portanto, uma ferramenta para assegurar a governança democrática e responsável, garantindo que decisões cruciais recebam o devido nível de consideração e apoio por parte dos condôminos.

Quais são os diferentes tipos de quórum em condomínio e a quantidade de votos para aprovar cada um deles?

Aprovação de contas

Este tópico envolve a revisão detalhada e a aprovação das contas do período anterior. Isso inclui todas as receitas como:

  • Taxas condominiais;
  • Receitas extraordinárias;
  • Manutenção;
  • Reparos;
  • Salários de funcionários;
  • Serviços contratados.

A transparência e a precisão neste processo ajudam a manter a confiança dos condôminos na administração do síndico e na saúde financeira do condomínio.

Durante a assembleia, os condôminos têm a oportunidade de analisar o relatório financeiro, fazer perguntas e sugerir mudanças. A aprovação das contas é fundamental para garantir que o condomínio esteja sendo administrado de forma responsável e de acordo com o planejamento financeiro. 

  • Quórum necessário: maioria simples (maioria dos presentes na assembleia).
  • Votação: mais de 50% dos votos dos presentes.

Obras necessárias

Obras necessárias referem-se a intervenções para a manutenção e conservação do condomínio. Elas são essenciais para garantir a segurança, a funcionalidade e a integridade das estruturas e instalações comuns. Exemplos incluem:

  • Reparos no sistema elétrico ou hidráulico;
  • Consertos em elevadores;
  • Manutenção de áreas comuns e fachadas;
  • Obras que evitam danos ou deterioração do imóvel.

A aprovação dessas obras é, geralmente, menos controversa, pois são importantes para o bem-estar dos moradores e a preservação do patrimônio. 

  • Quórum necessário: maioria simples (maioria dos presentes na assembleia).
  • Votação: mais de 50% dos votos dos presentes​​.

Obras úteis

Obras úteis melhoram a funcionalidade ou o aproveitamento das áreas comuns do condomínio, embora não sejam estritamente necessárias. As mais comuns são: 

  • Instalação de um sistema de segurança mais moderno;
  • Ampliação de uma área de lazer;
  • Individualização de hidrômetros. 

Essas obras têm como foco aprimorar a qualidade de vida dos moradores e, muitas vezes, agregam valor ao imóvel.

A decisão de realizar obras úteis, geralmente, exige um debate mais aprofundado entre os condôminos, pois pode envolver custos maiores e impactar as taxas condominiais. 

  • Quórum necessário: maioria absoluta (50% + 1 dos votos, em relação a todos os condôminos).
  • Votação: mais de 50% dos votos de todos os condôminos​​​​.

Obras voluptuárias

Existe também outro modelo de obras, as voluptuárias, que são aquelas que não são vitais para o funcionamento ou conservação do condomínio, mas que proporcionam maior conforto, beleza ou lazer, como por exemplo: 

  • Construção de uma piscina;
  • Renovação do hall de entrada;
  • Instalação de uma área de recreação.

Essas obras, muitas vezes, refletem um desejo de melhoria estética ou de lazer, mas não são vitais para a estrutura do condomínio. Devido ao seu caráter menos essencial e ao possível impacto financeiro, as obras voluptuárias geralmente requerem uma discussão e um maior consenso entre os condôminos. 

  • Quórum necessário: qualificado (2/3 dos votos de todos os condôminos).
  • Votação: 2/3 dos votos de todos os condôminos​​​​.

Alteração na convenção do condomínio

A convenção do condomínio é o documento que estabelece as regras gerais de funcionamento, administração e convivência do condomínio. Alterar a convenção significa modificar aspectos fundamentais da vida em condomínio, o que pode incluir mudanças na divisão de despesas, na administração das áreas comuns, ou nas responsabilidades dos condôminos e do síndico.

Uma alteração na convenção é uma decisão que afeta todos os condôminos e, portanto, requer um amplo consenso. 

  • Quórum necessário: qualificado (2/3 dos votos de todos os condôminos).
  • Votação: 2/3 dos votos de todos os condôminos​​.

Alteração no regimento interno do condomínio

O regimento interno detalha as regras específicas de convivência e uso das áreas comuns. Alterações no regimento podem interpretar questões como:

  • Horários de silêncio;
  • Uso de áreas de lazer;
  • Regras para animais de estimação.

Essas mudanças afetam o dia a dia dos moradores e, por isso, precisam de uma conversa cuidadosa para garantir que as novas regras sejam justas e adequadas à realidade do condomínio.

  • Quórum necessário: maioria simples (maioria dos presentes na assembleia).
  • Votação: mais de 50% dos votos dos presentes​​.

Destituição do síndico

Por fim, temos a destituição do síndico, que é um processo pelo qual os moradores podem remover o síndico de suas funções antes do término de seu mandato. Isso pode ocorrer por diversos motivos, como:

  • Má gestão;
  • Descumprimento das obrigações legais ou administrativas;
  • Conflitos com os condôminos.

A destituição é uma medida extrema, geralmente adotada quando há consenso de que o síndico não está cumprindo adequadamente seu papel.

  • Quórum para convocação da assembleia: 1/4 dos condôminos.
  • Quórum de votação: maioria simples (maioria dos presentes na assembleia).
  • Votação necessária: mais de 50% dos votos dos presentes​​.

Essas são as definições e requisitos de quórum e votação para as situações mais comuns em assembleias de condomínios. Lembrando que essas regras podem variar conforme a legislação local e a convenção de cada condomínio.

Considerações finais

Além de compreender os diferentes quóruns e votações necessários para cada tipo de decisão em um condomínio, é vital que síndicos e moradores tenham conhecimento de outras práticas e estratégias que podem contribuir para uma gestão mais eficaz e harmoniosa, como:

  1. Comunicação eficaz: informativos, reuniões periódicas e o uso de plataformas digitais podem ajudar a manter todos informados sobre as questões do condomínio e as decisões a serem tomadas;
  2. Educação condominial: promover a educação e o entendimento dos moradores sobre as regras, direitos e deveres em um condomínio fortalece a comunidade. Workshops, seminários e materiais informativos podem ser bem úteis;
  3. Mediação de conflitos: a presença de um mediador ou a adoção de práticas de mediação podem ser medidas extremamente benéficas para resolver disputas e desentendimentos, evitando que conflitos escalem e afetem a convivência no condomínio;
  4. Planejamento financeiro e orçamentário: uma gestão financeira transparente e bem planejada é extremamente importante. Isso inclui a criação de um orçamento realista, a manutenção de uma reserva financeira para emergências e a realização de auditorias regulares;
  5. Sustentabilidade e inovação: implementar práticas sustentáveis e inovadoras pode trazer benefícios a longo prazo, como economia de recursos e valorização do imóvel. Projetos de eficiência energética, coleta seletiva e áreas verdes são alguns exemplos;
  6. Engajamento dos moradores: encorajar a participação ativa dos moradores nas decisões do condomínio promove um senso de comunidade e responsabilidade compartilhada. Isso pode ser feito através de comitês, pesquisas de opinião e eventos comunitários.

Ao acatar estas práticas adicionais, os condomínios podem não apenas garantir a conformidade com as regras de quórum e votação, mas também promover um ambiente de convivência mais positivo, cooperativo e produtivo. 

Em resumo, a administração de um condomínio requer um equilíbrio entre conhecimento técnico, habilidades de gestão e recursos financeiros adequados. Este guia te ajudou a ter uma melhor uma base de conhecimento sobre os quóruns e apresentar soluções financeiras que podem facilitar o processo decisório em um condomínio. 
E para melhorar ainda mais sua gestão e aprovação nas assembleias, confira todos os serviços que o PartnerBank pode fazer por você e otimize ainda mais sua gestão.

Compartilhe:
Veja também:

Quórum em condomínio: guia completo

Ao lidar com situações prediais como obras, alterações de regimento interno, ou até mesmo questões

6 tecnologias que transformam a administração de condomínios

A gestão de condomínios está vivenciando uma revolução, impulsionada por avanços tecnológicos, e a administração

Webinars: ferramentas poderosas para a educação financeira em condomínios

Os condomínios estão cada vez mais tecnológicos e modernos, e com isso, surgem novos gastos

Quais são as normas de segurança para obras em condomínios?

Quando o assunto é a realização de obras em condomínios, a segurança e o bem-estar

Cobertura garagem: como executar? 

A escolha por uma cobertura de garagem em condomínios não é apenas uma questão de

PPCI para condomínios: guia definitivo

A gestão condominial bem-feita é a base para garantir um ambiente seguro e regulamentado para

×