Como deve ser feita a manutenção preventiva para chuvas do condomínio?

manutenção preventiva para chuvas

Você sabe como deve ser feita a manutenção preventiva para chuvas dos condomínios que a sua administradora atende? O período de chuva vem sempre acompanhado de muitas dúvidas e incertezas.  

Afinal, quando não estamos preparados, esse fenômeno da natureza pode trazer muito prejuízo para o condomínio. E não citamos somente prejuízo financeiro. 

Entretanto, quando entendemos e investimos em uma boa manutenção preventiva, esses danos não serão uma realidade para o seu cliente. 

De acordo com Instituto Nacional de Meteorologia, em São Paulo, a chuva de janeiro de 2022 ficou 31% acima da climatologia. O mês registrou o total de chuva de 378,6 mm, que é o maior desde 2017. 

Além disso, nos primeiros 5 meses de 2022, 457 pessoas morreram em desastres causados pelo excesso de chuva no Brasil, segundo levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) com base nos dados das defesas civis municipais. 

Ou seja, o total de 457 óbitos representa um aumento de 57% em relação a 2021, quando o número de mortos pela chuva no ano todo foi de 290 pessoas. 

Os números são alarmantes, portanto, é hora de se preparar e descobrir tudo sobre a manutenção preventiva para chuvas nos condomínios. Confira! 

Qual a importância de realizar manutenções preventivas? 

Prevenir é sempre melhor que remediar, certo?! Esse ditado também é válido quando falamos em manutenção condominial. Afinal, promover um check-up geral de toda a estrutura do condomínio é importante para evitar dor de cabeça e prejuízo financeiro. 

O seu cliente já iniciou o planejamento desse tipo de manutenção? Como você mantém o auxílio nesse aspecto?  

Além disso, é importante ficar atento e verificar diversas áreas do condomínio, incluindo a parte hidráulica, calhas e rufos, SPDA, telhados, ralos, bueiros de águas pluviais, entre outros. 

A dica de ouro é: faça uma análise minuciosa sobre toda a estrutura dos prédios.   

Como deve ser feita a manutenção preventiva em época de chuvas? 

Tudo começa pelo cuidado. Auxilie o síndico a trocar as telas nos ralos das áreas comuns por onde passa água para rede pluvial. Dessa forma, é possível evitar o entupimento, ao minimizar a quantidade de sujidade.   

Entretanto, essa não é a única medida que deve ser priorizada. Confira a saúde das árvores, arbustos e solicitar na prefeitura as devidas podas. (Se suspeitar de risco de queda, acionar a prefeitura). 

Além disso, verifique se nas áreas comuns está afixada a placa de alerta conforme a NBR 5419/2015: “Não circular pelas áreas externas do edifício em caso de tempestade”.  

A seguir, veja quais os cuidados adicionais: 

  • Fazer a revisão geral do gerador com troca de óleo, filtros e limpeza do tanque de combustível, após abastecer.  
  • Testar e verificar todo o sistema de iluminação de emergência, com revisão de lâmpadas e, em caso de baterias, se estas estão com vida útil adequada, caso contrário providenciar a troca. 
  • Revisar todos os quadros de elétrica.  
  • Conferir as bombas que fazem a retirada de água do prédio, as bombas de poços.  
  • Fazer a limpeza do poço do elevador, revisando se não há infiltração ou água empossada (ideal que tenham backup para emergência). 
  • Verificar se todo o encanamento está identificado para ação rápida, em caso de necessidade de fechamento imediato. 
  • Revisar o sistema de segurança abastecido pelo gerador, em caso de falta de energia. 
  • Revisar os portões, verificar se o sistema elétrico/eletrônico está protegido das chuvas e aterrado, além de estar sendo alimentado pelo gerador em caso de falta de energia. 
  • Limpar a tubulação de água de chuva e esgoto, caixas de esgoto no térreo e drenos nos jardins, fazendo com que fiquem livres e evitando problemas nos apartamentos mais baixos ou na área comum do prédio. 
  • Verificar a fixação de barreira mecânica. 
  • Verificar as condições de limpeza e impermeabilização de respiros de subsolos.  
  • Verificar o topo do prédio, garagens e térreo evitando que tenhamos vazamentos ou infiltrações. 
  • No caso de portaria virtual/remota, o síndico deve fazer uma reunião com a empresa para criar o procedimento de emergência para possíveis problemas de comunicação, como duplicar a forma de comunicar acesso em caso de falta de energia.  

Quais os cuidados após uma chuva forte? 

Após uma tempestade, ou chuva forte, no condomínio é imprescindível realizar uma varredura e se existe água acumulada nas áreas comuns, vasos de plantas, brinquedos e parquinho.  

Além disso, alerte os pais e responsáveis para não deixarem as crianças brincarem em áreas molhadas ou durante as chuvas, principalmente nas áreas comuns e no playground.  

 Dessa forma, com todos esses cuidados e com uma manutenção preventiva eficiente, certamente, o condomínio estará protegido de chuvas fortes e temporais. Comece o quanto antes a verificar todos esses pontos.   

Gostou do conteúdo? Compartilhe com os amigos. 

Leia também: Custos condominiais de final de ano: confira como ajudar o condomínio a organizar gastos 

Que tal receber dicas e novidades?

Assine nossa newsletter para receber conteúdos relevantes do mercado.

A sua instituição de pagamentos

Onde estamos

Matriz: São Paulo
Rua Paes Leme, 215, 14ºandar, Pinheiros, São Paulo/SP
CEP 05424-150 – (11) 3090-3227
Filial: Belo Horizonte
Rua Santa Catarina, 1631, 12ºandar,
Lourdes, Belo Horizonte/MG
CEP 30170-081 – (31) 4040-4167

A sua instituição de pagamentos

×